Quando um Homem perde a sua cueca - JODF — Portfólio online JODF — Portfólio online
Portfólio
Currículo
/jodf80
Blog
flickr.com/JODF
jodf__
jodf@jodf.com.br
11 995 339 613

JODF — Portfólio online

Quando um Homem perde a sua cueca — Por JODF
29 de agosto de 2011 — 09:31
Assunto: Cinema, Quadrinhos    

Share

Quando Você pensa no Superman, qual é a piada mais óbvia? A “cueca vermelha por cima das calças”?

Pois então trate de arrumar outra coisa para tirar sarro. Meses atrás a editora DC Comics anunciou uma reformulação total de seus títulos. Na prática, será criado um novo universo, mais ou menos como a linha Ultimate da Marvel, mas substituindo oficialmente o universo principal dos personagens DC.

A partir de setembro, nos EUA, todas (todas mesmo) as revistas voltam ao número 1. Os personagens serão reformulados, suas origens serão re-contextualizadas e seus visuais modificados. E, no meio de todas as mudanças, Kal-el, o “último filho de Krypton”, perderá sua gritante cueca vermelha.

E para ratificar esta mudança, semana passada, a Warner Bros divulgou algumas fotos desfocadas dos sets de gravação de “Superman: o Homem de Aço”, o novo filme do herói que chega aos cinemas em 2013. Nas imagens vemos o protagonista, vivido por Henry Cavill, enfrentando dois kryptonianos. E o que chama a atenção é a falta da tradicional cueca vermelha.

Mas de onde devem ter tirado esta ideia de cueca por cima das calças? Por que será que tantos heróis adotaram este visual?

Minha teoria: os meios de reprodução gráfico eram pouco sofisticados, não permitindo gradientes e tinham uma palheta de cores muito limitada. Então precisava de outros recursos para definir os personagens. Imagino que a cueca sobre as calças era usada para marcar o quadril dos personagens, senão o Superman, por exemplo, seria apenas uma mancha azul.

Conforme a impressão melhorou, e conforme os serviços de pré-impressão ganharam tecnologia, o visual “cuecão” se manteve por tradição, e sua explicação se perdeu no tempo.

E antes do Superman, quando existiam apenas os heróis, o Fantasma já usava sua “cueca interditada”.